Crescimento do piso salarial do setor de asseio e conservação supera em 20,63% o do salário mínimo

Responsável por gerar crescimento econômico e um grande volume de empregos formais, o setor de asseio e conservação no Paraná apresentou um crescimento de 56,24% do piso salarial no período de 2008 a 2012, superando o aumento do salário mínimo nacional que foi de 49,88%. Este percentual é mais significativo em 2012, onde o piso salarial do asseio e conservação cresceu 20,63% a mais que o mínimo nacional.

Os dados fazem parte da pesquisa Um Olhar Sobre a Limpeza – Números do Segmento de Asseio e Conservação no Estado do Paraná, divulgada recentemente pelo Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação do Paraná (SEAC-PR). A pesquisa utiliza como fonte dados obtidos através de relatórios de arrecadação de impostos, movimentação de trabalhadores (CAGED e RAIS), e informações obtidas junto a contratantes e empresários. “São 35 anos de atividade. Neste período, o segmento foi se solidificando no Estado, acompanhando as projeções no Brasil e no mundo. Hoje, é o maior empregador de mão de obra feminina de baixa escolaridade e porta de entrada para o mercado de trabalho”, explica o presidente do SEAC-PR, Adonai Aires de Arruda. O setor é composto por 485 empresas no Estado, com um quadro de 44,634mil trabalhadores.

De 2008 a 2012, foram criadas 168 novas empresas, correspondendo a 76,02% de aumento. E a atividade cresceu fisicamente neste período 49,28%, acrescentando mais 9.270 novos empregos diretos. O presidente do SEAC-PR destaca que o setor não abriga somente profissionais de limpeza, mas diversas atividades terceirizáveis, como ascensorista, auxiliar de serviços gerais, carregador, coletor, controlador de acesso, copeira, encarregado, garagista, jardineiro, lavador, operador de empilhadeira, operador de roçadeira, serviço de portaria, servente, supervisor, telefonista, cozinheiro, entre outros. “Ele é, portanto, um dos mais importantes formadores de mão de obra no Estado”, conclui Arruda.

Muitas vezes, profissionais de baixa escolaridade buscam no setor de asseio e conservação a oportunidade do primeiro emprego, sendo a entrada para o mercado formal de trabalho. Com base nesta informação, e segundo a pesquisa, isso representa que a política de incremento da massa salarial e benefícios oferecidos pelo segmento suplanta a política econômica do governo, referente ao incremento do salário mínimo nacional.

A atividade continua a contratar mais mulheres, com um avanço de 8,40% e tendência gradativa de aumento. De acordo com o IBGE, 37% das mulheres brasileiras são chefes de família, e o segmento de asseio e conservação oferece oportunidades de trabalho para este perfil.

Benefícios

Os benefícios também acompanharam a ordem de crescimento. Nos últimos cinco anos, o setor apresentou um crescimento de 107,12% no investimento em vale transporte para os colaboradores, já o vale refeição apresentou aumento de 102,45%. Os planos de saúde contaram com 140,66% a mais, e o apoio familiar teve um ganho representativo de 124,96%. Os investimentos em treinamento são os mais impactantes, pois alcançaram um crescimento de 390%, de 2008 a 2012, período contemplado pela pesquisa.

Sobre o SEAC-PR

O SEAC-PR tem 35 anos de existência e está vinculado sindicalmente ao sistema Confederação Nacional do Comercio (CNC), Federação do Comércio do Paraná e Federação Nacional das Empresas de Serviços e Limpeza Ambiental (FEBRAC). É mantenedor e cogestor da Fundação do Asseio e Conservação do Estado do Paraná (FACOP), em conjunto com o Sindicato dos Empregados das Empresas de Asseio e Conservação (SIEMACO). Esta fundação educacional é pioneira e reconhecida mundialmente. Está focada na capacitação gratuita prioritariamente em pessoas situadas na base da pirâmide econômica e de baixa escolaridade, tendo ao longo de seus 10 anos de existência e 5 anos de atuação, capacitado gratuitamente mais de 20 mil trabalhadores. A convenção coletiva de trabalho do setor de asseio e conservação do Paraná é referência em todo o Brasil e no exterior, pois contempla o maior piso salarial do Brasil e serviços adicionais prestados aos trabalhadores através da FACOP, como: capacitação permanente e gratuita, RH coletivo, e o primeiro SESMT Coletivo do segmento no mundo.