Tendências do RH para 2019: automação e foco na atuação estratégica no desenvolvimento de pessoas

Tecnologia, gestão 4.0 e cultura empresarial são as apostas dos especialistas de recursos humanos.

A gestão de pessoas é, sem dúvida, uma das práticas mais importantes e que vem ganhando mais espaço dentro das empresas. Reter talentos e identificá-los no processo de contratação é um desafio que permeia os departamentos de Recursos Humanos de empresas pequenas, médias e grandes. Na era da tecnologia e do desenvolvimento de pessoas, especialistas da Pontomais, empresa líder no mercado de Controle de Ponto e Gestão de Jornada, revelam as grandes tendências de RH para 2019.

“Não é de hoje que falamos que a força das empresas está nas pessoas. Por esse motivo o RH ganhou um novo propósito dentro do meio corporativo. Afinal, com talentos satisfeitos, engajados e comprometidos, torna-se muito mais fácil atingir as metas desejadas e concretizar os objetivos da organização. Agora, o desafio do setor é unir os novos conceitos de gestão à automação de serviços básicos, para que o RH seja um departamento estratégico no desenvolvimento da empresa”, comenta Silvana Fernandes, Head de RH da Pontomais, que hoje possui mais de 130 mil usuários ativos de ponto online.

Confira 5 tendências de RH para 2019:

 1. Desenvolvimento da “marca empregadora”

De alguns anos para cá, o conceito de marca empregadora vem sendo discutido e disseminado dentro das empresas. Contudo, em 2019 — devido à alta competitividade por talentos — o investimento no assunto deve ser muito maior.

Uma marca empregadora consiste em um conjunto de benefícios, tanto internos como externos, para atrair e reter pessoas talentosas dentro da empresa. Logo, a organização torna-se um grande ímã de profissionais acima da média, integrando-os ao trabalho.

2. Contratação com base na afinidade com a cultura da empresa (fit cultural)

 O processo de contratação é outro elemento importante e que deve receber bastante atenção. Todavia, o foco não deve estar mais apenas nos conhecimentos, habilidades e atitudes (famoso CHA) dos candidatos. É preciso considerar, também, os seus valores. Deixamos de lao antigo “CHA” e passamos a atuar como foco “CHAVE” (conhecimentos, habilidade, atitudes e valores).

O resultado do alinhamento entre os valores dos candidatos e da organização é chamado de fit cultural. Quando há esse alinhamento, é possível preservar e potencializar a cultura organizacional, bem como garantir um clima agradável e produtivo.

 3. Ampliação do uso de dados nas decisões

 O levantamento de dados de sistemas, planilhas, relatórios e da própria internet será cada vez mais útil. Nesse sentido, é importante que os gestores conheçam as principais métricas que podem ser usadas na gestão de pessoas e no negócio, potencializando a tomada de decisões corretas e o sucesso organizacional no médio e no longo prazo.

“Isso quer dizer que o RH deve ter uma atuação estratégica, e o embasamento para qualquer decisão são os números. Conhecer o que indicadores da área dizem e atuar buscando melhoria contínua é papel fundamental da gestão 4.0. O RH precisa parar de perder tempo com processos não automatizados e usar a tecnologia a nosso favor. Fazer a gestão de Turnover, absenteísmo e Retorno sobre o Investimento em Treinamentos (ROI) são requisitos mínimos. Precisamos mostrar o valor agregado e efetivamente participar da gestão do negócio”, comenta Silvana Fernandes.

4. Automação de processos básicos

 Com a chegada da quarta revolução industrial, diversas novidades podem ser integradas às empresas. Uma das mais importantes é a automação dos processos, isto é, a substituição do trabalho manual pelo de máquinas.

Na gestão de pessoas, por exemplo, é possível deixar a triagem dos currículos de candidatos a cargo de um sistema de gestão, ou, ainda, o monitoramento do controle de ponto. Com pouca ou nenhuma interferência humana, é possível ter ótimos resultados.

Dessa forma o departamento de RH consegue atuar na gestão de estratégica de pessoas. e o tempo ganho deve ser investido na análise estratégica de informações.

 5. Controle de ponto online e por reconhecimento facial

 Por fim, é interessante destacar o controle de ponto online. Atualmente, os profissionais não precisam estar dentro da empresa para cumprir o expediente. Por exemplo, se o colaborador estiver em uma viagem a trabalho, ele pode registrar o horário de entrada e saída por meio de seu smartphone. Também ideal para colaboradores que fazem home office e trabalhadores externos, tendência bastante forte após a reforma trabalhista. Contribui para o monitoramento dos horários e jornadas de trabalho, avaliando o número de ausências, assiduidade e horas extras de cada profissional. Logo, torna-se possível ter maior eficácia na gestão.

Ainda mais moderna é a opção de registro de ponto por reconhecimento facial. Esta é a solução mais segura para registrar ponto com chance mínima de erro. Leva apenas três segundos para bater o ponto e a segurança é altíssima. Ela é garantida por um sistema antifraude baseado na tecnologia que mede os ossos da face.